Literatura e valores permeiam 1º Concurso Projetos e Práticas

15 de dez de 2010 - dev

As escolas municipais Doutor Orlando Imbassahy, Madre Judite, Santa Bárbara, Cidade de Itabuna, Deputado Cristóvão Ferreira e Armando Carneiro da Rocha foram as vencedoras do 1º Concurso Projetos e Práticas do Programa Cidade Educadora, promovido pela Aymará Edições e Tecnologia, em parceria com a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer do Município de Salvador (SECULT). A cerimônia foi realizada em Salvador e as escolas receberam troféus, máquinas fotográficas digitais, notebook e um projetor multimídia.

As escolas desenvolveram trabalhos, produzidos por alunos e professores que abordaram meio ambiente com o cotidiano da sociedade unindo a teoria com a prática.Participaram do projeto professores e escolas do 1.º ao 5.º ano do Ensino Fundamental I da Rede Municipal de Salvador. O Concurso contemplou duas categorias principais. A Categoria Escola, contou com 67 inscritos e a Categoria Professor, com 183 inscritos. Essa última categoria ainda foi subdividida entre os 5 níveis de ensino do Fundamental I.

O secretário municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, João Carlos Bacellar, disse que o prêmio foi o reconhecimento do trabalho desenvolvimento pelo agente de transformação da sociedade, que é o professor municipal. “Os professores mostraram com seus trabalhos como conseguiram resgatar a cidadania e a autoestima das crianças. E o resultado foi magnífico”, afirmou.

Para o coordenador pedagógico da SECULT, Manoel Calazans, o concurso foi uma experiência exitosa e que deu visibilidade as ações desenvolvidas com maestria pelos profissionais da rede municipal de Salvador. “Acredito que na edição do próximo ano o número de inscrições vai dobrar porque é um canal para divulgar o que está sendo produzido nas escolas municipais”, disse.

Um dos projetos que mais chamou a atenção e que recebeu o primeiro lugar na categoria professor – 1º ano, foi o da Escola Municipal Doutor Orlando Imbassahy, “Viagem da Vida”. O objetivo da atividade foi a produção de textos autobiográficos escrito pelos alunos. As atividades focaram a construção das habilidades de leitura e escrita, com o objetivo de desenvolver a expressão de ideias, sentimentos, necessidades e desejos.

Na mesma categoria também foram contemplados os projetos “Um dia seremos idosos. É melhor respeitar”, da Escola Municipal Madre Judite, com foco em cidadania; “Ação por um mundo melhor”, da Escola Municipal Santa Bárbara, trabalho voltado ao meio ambiente; “De pingo em pingo de ponto em ponto: eu também faço história”, da Escola Municipal Cidade de Itabuna, de incentivo à leitura e “Eu, você e mais alguém: Você se torna responsável por tudo aquilo que cativas”, da Escola Municipal Deputado Cristóvão Ferreira, com foco em cidadania.

Na categoria escola o vencedor foi o projeto “Corrente do Bem”, da Escola Municipal Armando Carneiro da Rocha, com abordagem dos temas como construção de valores e atitudes, conteúdos essenciais da formação dos alunos. Neste projeto foram abordados temas que envolveram meio ambiente, preconceito e até bullyng.

Neste concurso 250 trabalhos foram inscritos. A intenção dos organizadores foi reconhecer, valorizar e divulgar o trabalho de professores e escolas e mostrar que o sucesso de um projeto se deve ao esforço conjunto de profissionais direta e indiretamente envolvidos no processo, possibilitando que as ações desenvolvidas e as aprendizagens alcançadas sejam vistas num âmbito muito mais amplo que o da sala de aula. Os Projetos e Práticas do Programa Cidade Educadora vêm reafirmar que a educação pode transformar pessoas, escolas e cidades.

O diretor presidente da Aymará, André Caldeira, revelou que o Concurso foi um desafio aos professores municipais e um incentivo para que sejam mostrados na prática os projetos desenvolvidos no Programa Cidade Educadora. “São ações que impactam a comunidade e possibilitam criar novos modelos de alunos a partir da leitura e da literatura. Serão cidadãos que aprendem a ler o mundo”, enfatizou.

Sobre o Programa Cidade Educadora

Atualmente, mais de 150 mil alunos nas cidades de Salvador, Feira de Santana, Santos, Praia Grande, Jeceaba e Eldorado do Sul utilizam o Programa Cidade Educadora, que é desenvolvido prioritariamente para escola pública e é composto por um conjunto de ações, estratégias, produtos e serviços em educação.

Fazem parte do programa uma coleção de livros transdidáticos, chamada Coleção Cidade Educadora, que atende alunos da Educação Infantil ao 9º ano do Ensino Fundamental;

A Espiral Educadora, um ambiente virtual diferenciado, colaborativo, que traz para um contexto educacional as tendências da Internet. Formação continuada de professores, com cursos, oficinas e orientação in loco, periodicamente, nas escolas; Avaliações periódicas de todos os alunos, para verificar a evolução de desempenho escolar; Pesquisa de satisfação entre gestores e educadores, com institutos de pesquisa independentes e reconhecidos nacionalmente.

Em Salvador, o Programa está presente nas escolas municipais de 1º ao 5º anos do Ensino Fundamental I, desde 2008.