Promoção da igualdade é tema de seminário

20 de ago de 2009 - dev

A Secretaria Municipal da Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secult) marcou presença na cerimônia de abertura do Seminário Sul-americano de Promoção da Igualdade, que aconteceu nesta quarta-feira (19), no Hotel Tropical da Bahia. O evento é uma realização do Conselho Federal da OAB, que pretende reunir profissionais de diversas áreas da sociedade e órgãos do governo, para discutir políticas públicas contra violações de direitos dos cidadãos.

“Só poderemos construir um mundo melhor através de diálogos abertos como esse. O trabalho em parceira entre todas as esferas do poder é fundamental para traçarmos um plano de trabalho que finalize, de uma vez por todas, a discriminação em todos os seguimentos”. A declaração é do secretário municipal de Educação, Carlos Ribeiro Soares, que garantiu oferecer mais oportunidades para os estudantes e professores da rede pública municipal.

Nos dias 20 e 21 acontecem as rodadas de palestras. E para debater sobre a Promoção dos Direitos da Mulher, o Fundo Municipal de Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes – FIEMA, está presente através da sua gestora Adriana Nascimento, que é uma das palestrantes. O Conselho da OAB, assim como o Ministério da Igualdade Racial, representantes de várias instituições internacionais do ramo social terão acesso às experiências êxitosas do Fundo na rede municipal de ensino.

Também serão discutidos assuntos como: Raça e Etnia; Educação, Cultura e Estado Democrático; Mídia; Tolerância Religiosa, entre outros. O evento reúne personalidades públicas e estudiosos da carreira jurídica, que irão ministrar as palestras. Entre eles estão: a ministra Nicéia Freire, da secretaria especial de Políticas para as Mulheres, Edson Cardoso, que é mestre em Comunicação Social da Universidade de Brasília, o cineasta Mark Brecke e Sheik Ahmad Abdul, líder espiritual do Centro Islâmico da Bahia.

A animação da abertura do evento ficou por conta do coral afinado dos alunos da Escola de Dança e Arte da UFBA, que abrilhantaram a solenidade com apresentações de música e teatro. O espetáculo fez com que o público fizesse uma viagem por toda origem do povo baiano, começando com canções africanas, passando por tradições latinas, até chegar ao Nordeste brasileiro. Era visível a euforia e empolgação do público, que não economizou elogios, retribuindo aos artistas com longos e sonoros aplausos